“Eis aqui a serva do Senhor” (Lc 1,38)

Todos nós cristãos vivenciamos, ao longo de todo este Ano Mariano, a presença de Maria em nossas vidas. Durante meses, a certeza do SIM de Nossa Senhora fez aumentar ainda mais a nossa fé.

Foi um ano para conhecer mais de perto a MÃE presente. A Mãe que é amada e conhecida por inúmeros nomes e títulos, por diversas aparições e milagres, mas que encerra em si mesma o título mais sublime: A Mãe de Deus!

A devoção à Virgem Maria nos faz um povo peregrino, que confia e ora: "Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei e, depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre! Ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria!
Durante 2017, pudemos acompanhar a vida de fé e sabedoria da Mãe do Céu, que sempre esteve ao lado do povo com sua humildade e perseverança.

 

TESTEMUNHO:

 

Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho (1Cor 9,16)

Alimentados pelo exemplo de Maria, teremos em 2018 um novo desafio. Na Solenidade de Cristo Rei, que este ano será celebrada em 26 de novembro, terá início, no Brasil, o Ano do Laicato.

É a hora do ‘sim’ do leigo e da leiga! Homens e mulheres que mantém a igreja viva, que se alimentam nas celebrações e partem para evangelizar. A conversão diária é um exercício e o testemunho deve se renovar a cada dia. Ser cristão de rezas e celebrações é até fácil, mas “ser Igreja” na sociedade é um desafio. Ser Igreja no trabalho, na família, com os amigos, com os que discordam de nós, é a verdadeira missão que 2018 nos reserva.

Mas também na ação pastoral da Igreja o leigo e a leiga são chamados a participar e dar testemunho de pertença ao povo de Deus. É preciso ir além no cotidiano da vivência da fé. Em sua Exortação Apostólica sobre o anúncio do Evangelho no mundo hoje – Evangelii Gaudium – o Papa Francisco afirma que “Cresceu a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja. Embora não suficiente, pode-se contar com um numeroso laicato, dotado de um arreigado sentido de comunidade e uma grande fidelidade ao compromisso da caridade, da catequese, da celebração e da fé”.

O presidente da Comissão para o Laicato da CNBB, Dom Severino Clasen, conclama o leigo para a missão de ser sal e luz do mundo e assim dar sabor e claridade para esse mundo tão desigual "O que nós queremos atingir é a transformação da sociedade. Os cristãos leigos e leigas devem ser sal e luz no mundo, na sociedade. Purificar os mecanismos da sociedade que nós temos, que aí sim a graça do batismo seja de fato o sacramento que transforma, que ilumina. E que a graça de Deus perpasse e penetre em todas as camadas da sociedade", disse o bispo.

Que a luz do Espírito Santo possa aquecer nossos corações e nos iluminar para que a alegria de ser cristão contagie nossa comunidade de fé. Assim seja!

 

Frei Paulo Henrique Romero