SANTA MADRE TEREZA DE CALCUTAProvidencialmente neste Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, o Papa Francisco, na Praça São Pedro, canonizará no próximo dia 4 de setembro às 10h30 de Roma – 5h30 no horário de Brasília – Madre Teresa de Calcutá.

Prêmio Nobel da Paz em 1979, Madre Teresa ficou mundialmente conhecida por suas ações humanitárias em favor dos mais pobres entre os pobres, em Calcutá, na Índia.

Rompendo as fronteiras do preconceito social e religioso revelou o Rosto da Misericórdia aos abandonados recolhendo das ruas de Calcutá moribundos sentenciados a morte pela indiferença, oferecendo seu colo aos sem afeto, transformou a dura realidade da amargura num ato de ternura por aqueles que não têm como retribuir.

Nossa sociedade, carente de atitudes verdadeiras pautadas pela coerência, reconhece justamente neste momento histórico em que vivemos que o testemunho vivo de Madre Teresa brilha como uma luz em meio à escuridão.

Um amor perdidamente apaixonado por Jesus impeliu Madre Teresa a consumir sua vida por amor. Revisitando sua biografia é evidentemente claro que tudo que realizou teve por motivação profunda seu amor por Jesus. Reservava horas de seu tempo, ao dia e a noite, para estar com Ele em oração, sabendo que unida a Cristo enfrentaria qualquer calvário, carregando não somente a sua própria cruz, mas, fazendo-se um Cireneu, ajudou a carregar as cruzes impostas aos ombros dos pobres abandonados.

A Madre dizia frequentemente: “[Jesus] se faz o faminto, o despido, o desabrigado, o doente, o preso, o que está só, o que ninguém quer, e afirma: ‘A Mim o fizestes’. Ele tem fome do nosso amor e essa é a fome dos nossos pobres. Essa é fome que você e eu devemos encontrar e que pode estar dentro de nossa própria casa [...]” (Madre Teresa de Calcutá).

Em vida realizou muitos milagres, sobretudo, ao despertar a atenção do mundo midiático para a situação dos miseráveis nas diversas “Calcutás” ocultas nas periferias dos grandes centros urbanos. Calcutá não é somente uma cidade da Índia, mais que isso, é todo lugar marcado pelo menosprezo da vida, onde impera a vigência do poder do dinheiro, das armas, das drogas e dos abusos contra a pessoa humana.

Fazer-se próximo dos infelizes requer de cada cristão uma profunda conversão. O exemplo de santidade de Madre Teresa desperta toda a Igreja para sua real missão neste mundo, “uma Igreja em saída [...] com obras e gestos”, uma coerente “comunidade missionária que entra na vida diária dos outros, encurta as distâncias, abaixa-se até à humilhação e assume a vida humana, tocando a carne sofredora de Cristo no povo” (Evangelli Gaudium).

O milagre que elevou Madre Teresa de Calcutá ao reconhecimento de sua santidade aconteceu em nossa Diocese de Santos, quando um homem de 35 anos, milagrosamente, enquanto acometido de uma grave enfermidade no cérebro foi curado de forma inexplicável para a medicina. Este milagre ocorreu justamente quando um grupo de oração invocava a intercessão de Madre Teresa.

Enquanto esteve neste mundo, Madre Teresa estendeu seus braços para acolher os últimos dos últimos; agora em Deus, participando da plenitude de sua graça, é intercessora nossa, fortalecendo a caminhada da Igreja peregrina, assomando ao coro dos santos e santas de Deus. Podemos com toda confiança invocar sua ajuda, mas principalmente nos esforçar para viver o que ensinou com seu testemunho cristão: a prática da caridade.

Que Santa Tereza de Calcutá interceda por cada um de nós.

Amém.


Frei Claudemir Vialli.